29 de abr de 2013

Continuam as buscas pela menina sequestrada dentro de casa


Veja também: Famosos se sensibilizam com o sequestro da menina de 11 anos

Irmã de Ida Verônica é intimada para ajudar na construção do retrato falado do sequestrador

Segundo a Polícia Civil, a construção do retrato falado é importante para auxiliar nas buscas dos criminosos e na solução do caso

Foi intimada pela Polícia Civil, Daniele Siqueira, irmã de Ida Verônica, de 8 anos, sequestrada de dentro da casa na última sexta-feira (26). A irmã da vítima irá auxiliar na elaboração do retrato falado do sequestrador, já que ela teve contato direto com o criminoso.

A divulgação do retrato falado do suposto sequestrador devem ajudar nas buscas. "Nós queremos o apoio de todos, qualquer pista, qualquer rastro dos homens que levaram a Ida para nós é bem vindo", contou o delegado da Divisão Antissequestro, Flávio Stinguetta.


ENTENDA A HISTÓRIA

Uma família do tradicional bairro Porto, de Cuiabá, vive um drama desde às 12h30 desta sexta-feira (26). Uma menina
 de apenas oito anos de idade foi sequestrada dentro da residência da família por um homem armado. As informações da Polícia dão conta de que Ida Verônica é filha de um casal de traficantes internacionais e morava em Cuiabá com a irmã mais velha.

Os pais da menina são Pablo Milano, extraditado para Itália e Izabel Feliz, dominicana que cumpria pena em Santa Catarina mas está foragida. Segundo a irmã da vítima, Daniele Siqueira, 26 anos, dois homens chegaram em um Celta branco de vidros escuros e estacionaram em frente a casa.

Um homem moreno de cavanhaque desceu e bateu na porta, foi quando Daniele atendeu. Ela estava sozinha na casa com Ida Verônica e o homem se mostrou interessado pelo terreno ao lado.

"Ele perguntou sobre o terreno e eu disse que não estava à venda. Ele me pediu um copo de água, tranquei a casa e fui buscar, quando voltei ele me apontou a arma e foi entrando", contou Daniele.

Segundo ela, o homem perguntou quem mais estava em casa, e ela respondeu que apenas ela e a irmã. Foi quando ele soltou 'é ela mesmo que eu quero', e saiu arrastando a criança.

Ida foi entregue com apenas três meses de vida a Tarcilla Gonçalina de Siqueira. Na época, a mulher trabalhava em um hotel onde os traficantes costumavam a se hospedar em Cuiabá, e foi a própria Izabel Feliz que pediu para Tarcilla cuidar da criança por um tempo.

Uma 'madrinha' de Ida Verônica chegou a vir para Cuiabá tentando rever a criança. Mas o caso foi parar na justiça e o bebê ficou morando no Lar da Criança, por seis meses, até que a família de Izabel cedeu a guarda à família de Tarcilla.

Quem tiver informações sobre o paradeiro da garota pode ser repassada pelos telefones (65) 9238-1091 ou (65) 9291-0607 ou 190.

0 Deixe sua opinião :

Postar um comentário